Na última sexta-feira (10 de janeiro), o município de Florianópolis recebeu 1600 doses da vacina Pentavalente, que protege as crianças contra difteria, tétano, coqueluche (pertussis), hepatite B (recombinante) e meningite por Haemophilus influenzae B e está indicada no esquema de três doses para menores de um ano de idade, sendo administrada aos 2, 4 e 6 meses de idade.

Número insuficiente para a cobertura vacinal espontânea, bem como da demanda reprimida que se formou após longo período de desabastecimento e/ou abastecimento insuficiente. Todas as doses já foram distribuídas entre os centros de saúde da capital, ao longo desta segunda-feira (13) e manhã desta terça-feira (14). Em alguns locais, elas já estão em falta novamente.

Segundo informativo divulgado pelo Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde, a vacina passou por um período de indisponibilidade na rede devido a um desvio de qualidade identificado na sua produção por parte do laboratório Biologica. Ainda segundo o Ministério, recentemente foram recebidas mais doses da vacina penta que se encontram em processo de liberação pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), para então passarem por testes de qualidade pelo Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS). Após a liberação pelo controle de qualidade, a vacina será distribuída para a rede do Sistema Único de Saúde.

Nesse sentido, a Coordenação-Geral do Programa Nacional de Imunizações (CGPNI), indica a utilização Temporária da vacina DTP (que protege contra difteria, tétano e coqueluche); acrescida de uma dose da vacina Hepatite B (HB) no esquema básico, nas crianças menores de um ano de idade, de acordo com o disposto a seguir.

a)Crianças menores de um ano de idade com início de esquema (aos 2 meses), aplicar DTP + HB e complementar esquema (segunda e terceira doses) com penta.
b)Crianças que iniciaram o esquema com penta, fazer segunda dose com DTP + HB e complementar esquema (terceira dose) com penta.
c) Crianças com duas doses de penta, complementar esquema (terceira dose) com uma dose de DTP + HB.
d)Para todas as situações acima, o reforço com penta aos 15 meses é recomendado.

O município de Florianópolis recebeu, na última quarta-feira (8 de janeiro), 1140 doses da DTP. De acordo com o Ministério da Saúde, todos os Estados foram abastecidos com a vacina DTP, a qual também se encontrava indisponível. Após a regularização dos estoques com a vacina penta, sem data confirmada, mas previsto para o mês de março, suspendesse a orientação de substituição temporária.

A gerente de Vigilância Epidemiológica de Florianópolis, Ana Cristina Vidor, explica que não há confirmações sobre quando o município receberá novas doses tanto de DTP quanto de Pentavalente. “Não sabíamos que receberíamos a penta e recebemos uma ligação de que devíamos buscar algumas doses que estavam disponíveis, então é difícil estimar quando e se receberemos mais em breve”, ressalta Vidor.

A orientação passada aos profissionais dos Centros de Saúde da Capital é que, ao término das doses recebidas de penta, sigam o esquema vacinal de substituição temporária, de acordo com a disponibilidade em estoque da DTP – ainda inferior à fila de espera do município, estimada em 6000 crianças.

https://rz.floripa.br 2020
ou

Fazer login com suas credenciais

ou    

Esqueceu sua senha?

ou

Create Account